quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Publicidade para gajo

Gosto de publicidade.
E como qualquer gajo, gosto de lingerie.
(e dizem os mais espertinhos - "Ó Jay, qualquer gajo não, os panascas não gostam." É mentira. Gostam sim senhor, só que vestida noutros gajos!)
E gosto quando misturam as duas coisas e fazem publicidade a lingerie.

Também gosto muito de meninas ou senhoras "com uma boa componente plástica (if you know what I mean)".
E gosto muito quando fazem publicidade a lingerie usando meninas ou senhoras com uma boa componente plástica.

Gosto ainda mais de meninas com um sorriso maroto e um ar atrevidote.
E gosto mais ainda quando fazem publicidade a lingerie usando meninas ou senhoras com uma boa componente plástica com um sorriso maroto e um ar atrevidote.

Adoro a evolução.
E adoro a evolução de que tem vindo a ser alvo a publicidade a lingerie usando meninas ou senhoras com uma boa componente plástica, com um sorriso maroto e um ar atrevidote.

E sou fã absoluto do photoshop.
Sabe Deus o quanto  sou fã  do papel que o photoshop tem desempenhado na evolução da publicidade a lingerie usando meninas ou senhoras com uma boa componente plástica, com um sorriso maroto e um ar atrevidote.

Mas há que saber quando pôr um ponto final e admitir "Já não está nas nossas mãos, daqui para a frente pertence ao domínio da robótica!"
Desde que me entendo por gente e que a minha memória me permite arquivar com carinho algumas memórias mais libidinosas, que acompanho com alegria e entusiasmo a publicidade da conhecida marca de lingerie feminina Triumph. (sim, também há lingerie masculina, mas isso já dá outro post..)
Lembro-me como se fosse ontem do refinadérrimo outdoor com Cláudia Vieira trajando nada mais que sua lingerie assim mais para o desportiva demostrando porque era afinal de contas a Raínha da festa.


Mais tarde Isabel Figueira (ou Figueirinha como gosto de lhe chamar) toma o seu lugar e com uma abordagem mais sensual, vestindo o seu fio dental que em nada protege do frio mas no entanto cria vagas espontâneas de calor, nos envolve numa onda Veraneia bem no meio do Inverno de 2009.


A senhora que se seguiu foi Marisa Cruz, ensaio do qual infelizmente não consegui encontrar uma foto (ainda que a imagem tenha ficado incrustada para todo o sempre na minha memória) pelo que me vi obrigado a escolher outra ao acaso e meramente a título de exemplo.


Marisa passaria o testemunho a Helena Coelho, que viria a posar num contexto de Dona de casa... Desesperada...mente sensual!


Por esta altura a Triumph toma a maior decisão da sua História e aposta tudo no cavalo vencedor, triplicando a parada e contratando três meninas, Andreia Rodrigues e as já reincidentes Isabel Figueira e Helena Coelho, vindo assim a criar a creme da la creme da publicidade a lingerie, qui ça da publicidade em geral.

(sempre quis ter esta foto neste blog)

E até aqui está tudo na mais santa paz. O problema foi depois.
Quando já não dava para encontrar modelos mais "aprazíveis". Quando cabeleireiros, maquilhadores, consultores de imagem e cirurgiões plásticos atiraram a toalha ao chão dizendo - "Desisto, não consigo melhor que isto!".
Quando já não dá para melhorar, o que faz a Triumph? Chama o nerd do photoshop e o resultado é este.


Incorrendo no risco de ser chamado de panisgas, tenho que dizer o seguinte - "O que é demais é moléstia!". 
Cada vez que passo por um outdoor desta nova publicidade da Triumph, atacam-me de imediato o pensamento os filmes futuristas de Woody allen com um tipo abrindo uma portinha nas costas de Andreia Rodrigues e puxando para fora um emaranhado de fios de todas as cores e fusíveis de todos os tamanhos para proceder a uns ajustes na voz ou na diversidade do discurso.
A sensualidade tem um limite e esse limite é traçado no preciso momento em que pomos a pata na dimensão da realidade virtual. 
A partir do momento em que a mulher deixa de se parecer com uma mulher para se assemelhar a um ciborg é hora de sair de cena e dar o nº da menina ao Robocop...

2 comentários:

patrícia disse...

Sempre achei que a maior pare das modelos são bem mais bonitas ao natural do que com quilos de maquilhagem em cima. Mas isto sou eu!
Depois a situação piora quando, retoque aqui, retoque ali, a pessoa da foto deixa de ser parecida com a pessoa real e não é mais do que uma boneca escanzelada e sem formas com ar sedutor. Chega a ser ridiculo.

Jay - O SRD disse...

E mesmo esse ar sedutor é questionável...